Médico aconselha ceia tropical para uma boa digestão na noite de Natal 23/12/10 (09:49)  Icone_imagem

Zoom_mais Fonte_normal Zoom_menos   Print        

Foto 1 / 1 Arquivo
Terraco-italia
O suculento pernil deve ser consumido com moderação

Natal é sinônimo de presente e também ceia, com a mesa farta de chester, maionese, sobremesas bem doces, nozes e companhia. Certo? Errado.

Segundo o médico nutrólogo Valter Makoto Nakagawa, vice-presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, a melhor refeição de Natal é a tipicamen-te tropical, com muita salada, peixe e frutas.

"A cultura de Natal que se faz não é para a nossa cultura brasileira. Importamos a ideia do povo americano, que nesta época convive com a neve e que precisa desse tipo de comida (mais pesada). Aqui temos que ter muito suco, frutas, verduras, uma verdadeira mesa de Natal tropical, e não cheia de peru, tender, pernil, maionese e doces todos engordurados", afirma ele.

Toda a atenção deve ser redobrada pelos "chefs" do cardápio, devido à possibilidade de mal estar e até infecções intestinais.

Segundo Nakagawa, alguns pratos "apodrecem logo" se ficarem muito tempo sem refrigeração. A maionese, por exemplo, é a maior vilã. "A maionese muito tempo fora da geladeira estraga com facilidade. Ainda mais por todos os condimentos que apresenta, não só a maionese em si, mas os ovos. Com isso, pode ocorrer infecção intestinal", lembra.

Sobre um cardápio mais japonês, o médico diz que o peixe é uma opção sau-dável, mas como todo alimento, tem restrição.

"O peixe é rico em ômega 3, mas provoca muito ácido úrico. O shoyu deve ser usado com muito cui-dado por pessoas hiperten-sas. O refrigerante tem muito sódio. A laranjada pode ser perigosa para diabéticos. Ou seja, tudo tem restrição. A mesa, então, deve ter todo o cuidado e ser montada com bom senso", recomenda.


Compartilhar: |
« VOLTAR


Últimas Notícias



Data/Hora

26/11/2014
18:03 (São Paulo)
27/11/2014
05:03 (Tóquio)