Artista japonesa faz exposição inédita no Brasil e traz obra de mais de seis toneladas 20/01/11 (13:28)  Icone_imagem

Zoom_mais Fonte_normal Zoom_menos   Print        

Foto 1 / 1 Divulgação
Mariko_mori-obra
A obra “Wave UFO” faz parte da mostra

Pela primeira vez em solo brasileiro, os adoradores de arte terão acesso a uma mostra ampla e abrangente da principal artista japonesa contemporânea Mariko Mori, que utiliza o design e a arte de vanguarda para compor elementos de engenharia de ponta, interativos e de forte impacto físico e visual.

Considerada mundialmente como um dos maiores nomes da arte, a artista chega ao Brasil para a mostra "Mariko Mori/Oneness", que será aberta no próximo dia 25 de janeiro, no Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, onde poderá ser vista até 3 de abril. A própria artista já confir-mou que estará presente durante a vernissage.

Mori, que recebeu vá-rios prêmios em todo o mundo, entre eles a prestigiada Menção Honrosa da 47ª Bienal de Veneza, em 1997, e o 8º Prêmio Anual como artista e pesquisadora no campo da arte contemporânea japonesa, em 2001, apresenta aos brasileiros dez trabalhos de alta complexidade tecnológica, que ocuparão todos os espaços expositivos do CCBB Brasília.

Entre as obras, todas provenientes de acervos da Europa, Estados Unidos e Japão, está o "Wave Ufo", um objeto híbrido de grande escala, máquina e escultura ao mesmo tempo, que funde, em tempo real, computação gráfica, ondas cerebrais, som e uma en-genharia arquitetônica para criar uma experiência inte-rativa dinâmica. Ao todo, o objeto pesa mais de seis toneladas.

Outro destaque fica por conta do "Oneness", que apresenta um círculo de seis figuras confeccionadas em technogel (material novo, que fica entre o só-lido e o líquido), medindo 1,35 m, e que interagem ao toque de cada visitante.

Há ainda o "Transcircle", um anel de nove pedras de vidro coloridas e brilhantes, controlado inte-rativamente, numa fantás-tica reinterpretação dos cír-culos de monólitos pré-his-tóricos. As mais recentes esculturas de grande escala da artista, "Tom na Hiu" (2006) e "Opal Planta" (2009), também estarão na exposição.

De acordo com críticos, os trabalhos de Mariko Mori fundem arte e tecnologia, Budismo, Xintoísmo e a ideia de uma consciência espiritual universal. Desenhando antigos rituais e símbolos, a japonesa usa tecnologia de ponta e ma-teriais de última geração para criar uma visão bela e surpreendente do século 21. De acordo com a artista, seu trabalho "é uma espécie de oferta".


Compartilhar: |
« VOLTAR


Últimas Notícias



Data/Hora

30/08/2014
11:26 (São Paulo)
30/08/2014
23:26 (Tóquio)